O Cacaueiro nos Trópicos

Que seja um Criollo, um Forastero – Amelonado, um Nacional, ou uma das novas variedades de espécies, o cacaueiro somente se desenvolve entre os dois trópicos, nas regiões quentes e húmidas, próximas do equador.

Necessita, o ano todo, de uma temperatura entre os 25 e os 30 graus assim como uma humidade relativa ao ar de 80%, com chuvas tão regulares quanto possível: seja pelo menos 1500 a 2000 milímetros de água por metro quadrado e por ano. Se a época da seca for superior a três meses, o cacaueiro já não se poderá desenvolver. É uma preocupação actual, ligada às alterações climáticas, ao aquecimento global e à extensão das zonas desérticas.

No entanto o cacaueiro também não gosta de ter os pés na água. Gosta de solos bem drenados. E se a temperatura desce abaixo dos 10º C, ele «gela»: a sua seiva já não flui mais e a árvore morre.

Com tais requisitos, o cacaueiro só se dá bem nas latitudes equatoriais mais baixas, entre o nível do mar e a um máximo de 600 a 800 metros, à sombra das árvores mais altas…

Efectivamente, na natureza, ele mede apenas uma dezena de metros e sempre à sombra dos seus congéneres mais delgados. Com as suas folhas grandes, só precisa de 60 a 80% de luz solar para se desenvolver plenamente.