Óbidos com o campeão mundial em Madrid

Entre uma e outra edição anual do evento, o FIC não está propriamente parado, como pode parecer pela ausência de comunicação sobre o chocolate durante algum tempo. Aliás, a preparação da edição seguinte começa logo no dia a seguir ao encerramento de cada Festival.

Foi assim que em Setembro de 2019 o Festival Internacional de Chocolate de Óbidos esteve em Madrid, a participar na segunda edição do Salon de Chocolate de Madrid, agora designado de Chocomad. Pelo segundo ano consecutivo estivemos a representar Óbidos e todo o sector chocolateiro português, a convite da marca La Colonial de Eureka. Óbidos esteve em Madrid a retribuir a presença desta marca no FIC, onde tem um importante papel como patrocinador principal da vertente artística do evento, fornecendo todo o chocolate utilizado pelos nossos chefs na execução das emblemáticas esculturas que compõem o plano escultórico do Festival Internacional de Chocolate de Óbidos.

Este ano tivemos uma presença mais afirmativa em Madrid, reforçada pela presença do chef Jorge Cardoso, que representou Óbidos e o FIC no Chocomad. Jorge Cardoso é actualmente o Campeão Mundial de Escultura em Chocolate por ter vencido a última edição do concurso quadrienal, em 2018 no Luxemburgo, que atribui este título. Radicado na Suíça desde muito jovem, Jorge Cardoso, aprendeu neste país do chocolate as melhores técnicas e todos os segredos desta iguaria ímpar. Depois de se ter estreado no FIC em 2017, voltou a estar connosco em Óbidos na edição de 2019 e acedeu ao nosso convite para nos acompanhar a Madrid, onde teve ocasião de mostrar um pouco da sua mestria.

Além de uma curta demonstração no palco do evento onde Jorge Cardoso teve a ocasião de fazer uma receita composta com vários tipos de chocolate, conciliando e harmonizando vários sabores e texturas, o nosso chef teve oportunidade de fazer uma pequena escultura com apenas 5Kb de chocolate e algumas horas de trabalho. Esta obra integrou uma imagem simbólica e muito identitária de Madrid, “la menina” num fundo de influências africanas, em homenagem ao país produtor de cacau presente neste evento – a Costa do Marfim. No último dia do evento a peça foi oferecida à delegação africana, no âmbito do bom clima de dialogo que Óbidos tem estabelecido com o Conselho de Café e do Cacau deste país, tendo em vista a sua presença futura numa próxima edição do FIC.