Os Loucos Anos 20

Depois dos Loucos Anos 20 a vida nunca mais foi a mesma. Esta década do pós-guerra do século XX trouxe consigo tantas transformações e mudanças, à vida das pessoas e das comunidades, que passado um século sobre essa explosão de alegria e vitalidade, ela não pode ser ignorada nem esquecida.

Foi a época da música Jazz. Na dança apareceram novos registos como o charleston, o swing, o foxtrot e o tango. O tempo da Art Deco. Da grande expansão do cinema mudo e aparecimento do sonoro. Tempos de grande emancipação da mulher, com a substituição do espartilho pelo soutien, os vestidos curtos, o estilo de cabelo “à la garçonne” a poderem sair sozinhas, a irem ao cinema, aos restaurantes, aos cabarrets e night clubes que também aparecerem nesta década.

O motor de explosão substituiu definitivamente a máquina a vapor. Foi a década da aviação comercial, da grande propagação do automóvel, do aparecimento da rádio, do telefone e do telégrafo. A luz electrica mudou para sempre a vida urbana. O avanço na educação trouxe uma sociedade genericamente alfabetizada em oposição ao elitismo anterior. Na literatura apareceu o policial e o romance cor-de-rosa, surgiu a BD. Inventou-se o turismo com a democratização das viagens de lazer, acessíveis agora às classes médias. A praia passou a ser uma opção de lazer também para a classe média. Aparece a prática do desporto generalizada com o futebol, o ciclismo, o boxe, o atletismo ou o automobilismo.

Este é também o tempo da teoria da relatividade, de Einstein, do início da prática da psicanálise por Siegmund Freud, e da invenção da Penicilina por Alexander Flemming, que foi um grande avanço na ciência e na medicina.

A entrarmos em 2020 o Festival Internacional de Chocolate de Óbidos celebra o centenário desta década pujante, festiva e optimista, projectando e idealizando outra época igualmente alegre, forte e transformadora para os anos vindouros. Afinal, o futuro, mais do que uma projecção idealizada, pode ser algo que se constrói diariamente, sobre os alicerces das melhores referências que a historia, mais longínqua ou mais próxima, nos legou.